27 de jun de 2012

7º Festival de Cervejas Artesanais - Edição Inverno


Antecipados somente no local.




O encontro mais esperado do 512 já tem data e hora marcada. Será domingo, dia 23, a partir das 17hs. São 8 cervejarias convidadas apresentando cada uma dois estilos diferentes. São elas: Abadessa (Slava/Export), Barley (Ambar/Natural), Garza (Strong/IPA), Heresia (Pale Ale/Red Ale), Horst & Biermann (Blond/Stout), Rasen (Pilsen/Ambar), WhiteHead (Irish/Witbier), e a convidada especial Província apresentando sua linha artesanal de Red e Weis.
Quer mais? Então tem...
A banda Quarto Sensorial faz a abertura dos trabalhos sonoros a partir das 19h e a Camaleão Black fermenta o swing a partir das 21h.

Agiliza o teu ingresso pois são dois lotes limitados.

1º lote - R$ 40 feminino | R$ 50 masculino (100 unid.)
2º lote - R$ 50 feminino | R$ 60 masculino (150 unid.)
Na hora - R$ 55 feminino | R$ 65 masculino (50 unid.)

Os primeiros 50 ganham copos personalizados do 512!

Mais informações no 51.3212.0229


16 de jun de 2012

Ocupação de Domingo apresenta Circo Pocket Show Psicodelia




O Coletivo de palhaços Anarko-Clowns, advindos de experiências artísticas diversas, vai ao Espaço Cultural 512 apresentar o “Circo Pocket Show Picadeiro”, espetáculo noturno composto por performances, esquetes e cenas de curta duração. O ambiente noturno da boêmia é o cenário em que se passa este espetáculo e os personagens que protagonizam as cenas são palhaços que representam os arquétipos/estereótipos desse ambiente através de situações clássicas da noite. O roteiro é concebido a partir de improvisações baseadas em fatos que ocorrem nos bares da noite, situações preconcebidas e outras destacadas pela observação dos atores em saídas de campo.
A concepção deste trabalho prima pela simplicidade, realçando a imaginação, as propostas e soluções criativas oriundas do jogo teatral dentro da técnica do palhaço, a visão de mundo e a maneira de fazer as coisas a partir da lógica absurda, fantasiosa e ingênua dos palhaços, tendo como eixo principal a atuação e virtuosismo dos artistas.
O coletivo pretende resgatar a função social do palhaço, de relativizar as normas e verdades estabelecidas pelo nosso tempo, expondo as fragilidades e as contradições do ser humano. O palhaço não se condiciona aos conceitos e concepções dados pela nossa realidade e cultura. Está apto e sedento para descobrir e revelar o mundo, as coisas e as relações a cada momento. Por essa razão chega a provocar o riso, à medida que pode “reverter valores e padrões sociais”, trabalhando com a quebra e a ruptura do que já está condicionado, fazendo cair as máscaras sociais, revelando o humano. E nesse sentido, o palhaço além de fazer rir, ‘aperta o coração’ da platéia, conectando o espectador com sentimentos de compaixão, solidariedade, com a ingenuidade e a pureza de cada um. Federico Fellini (1983) diz que: “O clown representa uma situação de desnível, de inadequação do homem frente à vida. Através dele exorcizamos a nossa impotência, as nossas contradições e principalmente a luta ridícula e desproporcional contra os fantasmas de nosso egoísmo, de nossa vaidade e da nossa ilusão”.
Com humor ácido e sarcástico, de conteúdo reflexivo, o conjunto de cenas descrito abaixo constitui nosso espetáculo; o qual consiste em intervenções e jogos com o público. Chamamos de Pocket Show, por não utilizarmos grandes cenários, nem necessitarmos de grande espaço para sua realização.  Sendo assim, o público presenciará ao longo do domingo no bar, cenas individuais, em duplas, trios, quartetos e o quinteto todo reunido, com intervalos entre as cenas. 
As diferentes experiências culturais dos individuos do grupo trazem influências e teorias que compõem e enriquecem o trabalho. Nos orientam no campo teórico: Jacques Lecoq, Philipe Gaulier, Dario Fo, Jesus Jara, Henri Bergson, Bertold Brecht. No campo prático: Jango Edwards, Carlitos, Chacovach, Victor Avalos “Tomate” .

O quê: Circo Pocket Show;
Quando: 17/06 às 19h;
Onde: Espaço Cultural 512 - Rua João Alfredo, 512
Quanto: R$5

9 de jun de 2012

Ocupação de Domingo apresenta Quiçá se Fosse, no lançamento de seu DVD




 Quiçá, se fosse lança seu DVD documental 
“SãoChico” 


 Uma casa isolada no meio da serra. Uma pequena equipe numa Kombi. Vários instrumentos. Dois músicos e suas canções. Das muitas maneiras de se gravar um material, os músicos André Paz e Róger Wiest optaram por algo inusitado: um isolamento de cinco dias no interior de São Francisco de Paula – RS, onde uma equipe formada pelos próprios músicos mais dois amigos produziriam o primeiro material da dupla Quiçá, se fosse


Revisitando elementos presentes na música latino-americana. A quiçá, se fosse faz a utilização de instrumentos étnicos, apresenta diálogos poéticos em letras que fazem referência a grandes escritores, assim como, também mostra ao público as histórias e contextualizações de suas canções. Em um repertório de dez músicas inéditas a dupla apresenta um grade leque de possibilidades sonoras com a ajuda de uma diversificada variedade de instrumentos, equipamentos de efeitos e de loop. 


Já no seu primeiro ano de existencia a dupla recebeu convites importantes e ganhou espaço de destaque em diversas mídias como uma das revelações da música popular de Porto Alegre. 
Pode se citar entre suas apresentações mais relevantes: 
Trilha sonóra da circulação ganhadora do prêmio Mirian Muniz em 2011 que passou por 15 cidades da região sul do país; canja musical do “Encontros com o professor” de Ruy Carlos Ostermann; participação da semana de encerramento da Casa M da Bienal do Mercosul; canja de homenagem a Millor Fernandes no Sarau Elétrico; poket show na rede FNAC; Temporada de reativação das apresentações do teatro Glênio Peres da câmara de vereadores de Porto Alegre. 

Serviço: Ocupação de Domingo com Quiçá, se fosse - Lançamento do DVD;
Quando: 10/06/2012 às 20h;
Quanto: R$7,00
Onde: Espaço Cultural 512 - Rua João Alfredo, 512 - Cidade Baixa